Com a mudança, que deve durar 12 meses, ciclistas e pedestres devem usar a área junto à pista de rolamento entre a Avenida Ipiranga e a Rua Nestor Ludwig.

Estimativa é que a sinalização esteja concluída até o fim da semana.

Início das obras de revitalização do Trecho 3 da Orla do Guaíba, em Porto Alegre. Jefferson Bernardes/PMPA A Prefeitura de Porto Alegre informou que, para garantir segurança, a ciclovia e o passeio público da Avenida Edvaldo Pereira Paiva, próximos do Estádio Beira-Rio, serão transferidos para o sentido bairro-Centro.

Com a alteração, ciclistas e pedestres deverão usar a área junto à pista de rolamento entre a Avenida Ipiranga e a Rua Nestor Ludwig. O trecho de 1,7 km compreende a área da obra de revitalização do trecho 3 da Orla do Guaíba, entre o Arroio Dilúvio, próximo ao Anfiteatro Pôr do Sol, e o Parque Gigante.

A mudança deve durar 12 meses, tempo necessário para a conclusão das obras no trecho. A estimativa é que a sinalização esteja concluída até o fim desta semana.

Durante o período dos serviços, a circulação dos veículos ficará em duas faixas no trajeto.

A partir da Rua Nestor Ludwig, a ciclovia segue o trajeto normal no sentido Centro-bairro da pista.

As ações são coordenadas pela Secretaria Municipal de Infraestrutura e Mobilidade Urbana (Smim) e pela Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC). A faixa que receberá a ciclovia e a calçada já está recebendo pintura, os tachões para delimitar a ciclovia/passeio e a instalação das placas de sinalização necessárias, segundo o secretário municipal de Infraestrutura e Mobilidade (SMIM), Marcelo Gazen.

“Todos os serviços da sinalização provisória e o cercamento da área da obra devem ser finalizados e, para a segurança de todos, somente após essas etapas haverá a mudança e a interdição ao público.

A ação é necessária porque o trecho vai receber intenso tráfego de caminhões no sentido Centro-bairro, de segunda-feira a domingo, 24 horas por dia”, explica. A Empresa Pública de Transporte e Circulação de Porto Alegre (EPTC) orienta os ciclistas e pedestres que fiquem atentos às placas indicativas.

“O novo percurso levará quem vem do Centro a atravessar para o sentido inverso quando chega na esquina com a Ipiranga, e quem vem do bairro fará a travessia quando chegar na altura do estádio Beira-Rio.

Importante frisar que nos finais de semana e feriados a área reservada para lazer na Avenida Edvaldo Pereira Paiva se dará no sentido bairro-Centro, inverso ao atual”, esclarece o diretor técnico da EPTC, Marcelo Hansen.

Outras alterações no trânsito Veículos: nos dias úteis, o trânsito de veículos será normal na Avenida Edvaldo Pereira Paiva (Beira-Rio), nos dois sentidos; aos sábados, domingos e feriados, o bloqueio atual no sentido Centro-bairro para área de lazer será invertido entre o Viaduto Abdias do Nascimento e a Avenida Ipiranga para a pista sentido bairro-Centro.

Ficarão proibidas as conversões e retornos dos veículos à esquerda na Avenida Edvaldo Pereira Paiva (Beira-Rio).

O trânsito de veículos ficará liberado no sentido Centro-bairro.

Novo semáforo: será instalado um semáforo, com funcionamento aos sábados, domingos e feriados, para facilitar a travessia de pedestres na Avenida.

Edvaldo Pereira Paiva (Beira-Rio), sentido Centro-bairro, proximidades da Escola Imperadores do Samba.

Semáforos desativados: com o bloqueio da área atual de ciclovia e passeio neste trecho, dois semáforos e duas faixas de pedestres ficarão desativadas durante as obras, já que, com o cercamento, eles perdem a sua funcionalidade.

Acesso local: as ruas que ligam a Avenida Padre Cacique à Avenida Edvaldo Pereira Paiva (Nestor Ludwig, Fernandão e Carlos Medina) serão exclusivas para acesso de trânsito local. Revitalização Assim como o projeto do trecho 1, entregue revitalizado em junho de 2018, o trecho 3 também é de autoria do arquiteto Jaime Lerner.

A área de intervenção do trecho 3 é de 14,6 hectares ao longo da orla e prevê aproximadamente 200 vagas de estacionamento no canteiro central da Avenida Edvaldo Pereira Paiva.

Segundo a prefeitura, o espaço terá mais de 550 árvores dos tipos cedro, figueira, jerivá, cerejeira e coronilha, além de três estruturas de bares idênticas aquelas que já estão em funcionamento no trecho 1, quadras para prática esportiva, vestiários e uma pista de skate.

Os recursos para a execução da obra, com conclusão estimada em 12 meses, são provenientes do Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF), do Fundo Municipal de Iluminação Pública e do Departamento Municipal de Água e Esgotos (Dmae).